Pena maior para motorista bêbado que causar acidente

Atualizado: 9 de Mai de 2018


Foto: André Borges/Agência Brasília

Nesta quinta-feira (19) a Lei 13.546/2017, entra em vigor e amplia as penas para o motorista que provocar, sob efeito de álcool e outras drogas, acidentes de trânsito que resultarem em homicídio culposo (quando não há a intenção de matar) ou lesão corporal grave ou gravíssima. A nova legislação, foi sancionada no ano passado e tem modificações em artigos e outros dispositivos do Código Brasileiro de Trânsito (Lei 9.503/1997).

Na norma antiga a pena de prisão para o motorista que cometesse homicídio culposo no trânsito estando sob efeito de álcool ou outras drogas psicoativas variava de 2 a 5 anos. Com a mudança, a pena aumenta e varia entre 5 e 8 anos de prisão. A lei proíbe também que o motorista tenha permissão ou habilitação para dirigir novamente. No caso de lesão corporal grave ou gravíssima, a pena de prisão, que variava de seis meses a 2 anos, agora foi ampliada com prisão de 2 a 5 anos, incluindo também a possibilidade de suspensão ou perda do direito de dirigir.

As alterações no Código Brasileiro de Trânsito (CBT) também incluem a tipificação como crime de trânsito a participação em corridas em vias públicas, os chamados rachas ou pegas. Para reforçar o cumprimento das penas, foi acrescentada à legislação um parágrafo que determina que "o juiz fixará a pena-base segundo as diretrizes previstas no Artigo 59 do Decreto-Lei 2.848, de 7 de dezembro de 1940 (Código Penal), dando especial atenção à culpabilidade do agente e às circunstâncias e consequências do crime".


Com informações da Agência Brasil

15 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

Vagas para Médico do Trabalho

Santo André Clínica MEDNET Av. Padre Manuel da Nobrega 170 - Bairro Jardim Horário das 7:00 as 12:00 Valor : 110,00 hora Para informações entrar em contato com: Juliana (11) 9.9727-5110 (whats)

Campanha Salarial 2020 - Sinamge

Após intensa negociação com o Sinamge (Sindicato Nacional das Empresas de Medicina de Grupo), o Sindmed Grande ABC assinou a Convenção Coletiva de Trabalho 2020 e garantiu reajuste salarial de 2,94% a