Vacinação alcança 4,7 milhões na primeira semana

Atualizado: 9 de Mai de 2018

A população deve procurar os postos de saúde do SUS até o dia 1º de junho para receber a vacina. Expectativa é vacinar 54,4 milhões de pessoas

O Ministério da saúde divulgou nesta semana o primeiro balanço de vacinação da campanha de influenza. Os números apontam que, até 27 de abril, cerca de 4,7 milhões de pessoas foram vacinadas em todo o país. Esse total considera o público estimado de pessoas privadas de liberdade – o que inclui adolescentes e jovens de 12 a 21 anos em medidas socioeducativas, funcionários do sistema prisional e pessoas com comorbidades.  O dia 12 de maio será uma importante data para aumentar esses número, já que nesse sábado acontecerá o Dia D de mobilização, em que os 65 mil postos de vacinação de todos os estados ficarão abertos para intensificar a vacinação. A expectativa do Ministério da Saúde é vacinar 54,4 milhões de pessoas até 1º de junho.  Dessas pessoas, 43 milhões são idosos a partir de 60 anos, crianças de seis meses a menores de cinco anos, trabalhadores de saúde, professores das redes pública e privada, povos indígenas, gestantes e puérperas (até 45 dias após o parto). Nesta primeira semana de vacinação, 9% (3,9 milhões) desse grupo receberam a vacina contra gripe.  A escolha dos grupos prioritários segue recomendação da Organização Mundial da Saúde (OMS). Essa definição também é respaldada por estudos epidemiológicos e pela observação do comportamento das infecções respiratórias, que têm como principal agente os vírus da gripe. São priorizados os grupos mais suscetíveis ao agravamento de doenças respiratórias. A vacina é segura e reduz as complicações que podem produzir casos graves da gripe, internações ou, até mesmo, óbitos. Ela protege contra os três subtipos do vírus da gripe que mais circularam no último ano no Hemisfério Sul, de acordo com determinação da OMS, (A/H1N1; A/H3N2 e influenza B). Neste ano, apenas a cepa da influenza A (H1N1) não foi alterada: A/Michigan/45/2015 (H1N1)pdm09; A/Singapore/INFIMH-16-0019/2016 (H3N2); e B/Phuket/3073/2013.

Com informações da Agência Saúde- Ministério da Saúde

8 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

O antídoto é o SUS

Nada como a história para que o conhecimento e a experiência sejam testados, independentemente dos resultados.

As vantagens da Cannabis Medicinal

Dr. Pedro Antômio Pierro Neto >> 1) Há evidências científicas dos benefícios da cannabis para a saúde? O que, na sua opinião, impede a regula

Av. Dom Pedro II, 288 - Conjunto 31

Santo André - SP, CEP: 09080-000