O antídoto é o SUS

Dr. Nelson Nisenbaum


Nada como a história para que o conhecimento e a experiência sejam testados, independentemente dos resultados. O caso do envenenamento das cervejas com dietilenoglicol, em Belo Horizonte, ocasionando 29 vítimas, sendo dez fatais e dezenove sobreviventes, teve um rápido desfecho e esclarecimento, diferentemente do caso do óleo espalhado nos litorais dos estados das regiões nordeste e sudeste brasileiras. A enorme diferença entre os dois casos, no que tange à investigação e à conclusão (no caso do óleo, à falta de conclusão), é que um time entrosado de médicos, enfermeiros, técnicos e gestores de saúde pública estava no local certo na hora certa. O fluxo de tratamento da informação, iniciativa de investigação, inteligência e operação só foi possível diante de uma organização perene e articulada de profissionais que felizmente ainda encontramos no Sistema Único de Saúde (SUS), que mais uma vez deu prova da sua necessidade como ferramenta estratégica de Estado para a proteção da sociedade. Prova mais cabal disso é o que vem ocorrendo no enfrentamento do novo coronavírus. É de fundamental compreensão que os mecanismos de formação e estabilização de um sistema com essas características e competências são claramente desenhados pela nossa Constituição de 1988 e pela legislação original do SUS, no formato de um aparelho estatal que acolhe profissionais por concurso público e os mantém em carreiras estáveis, pois a capacidade de resposta a esses eventos é algo em permanente construção e aprimoramento, dependente das experiências exitosas construídas no seu seio e da acumulação e segurança do conhecimento adquirido. A lógica das terceirizações corrompe fortemente essas estruturas, impondo um alto turnover e implodindo a capacidade de acumulação de conhecimento entre os entes individuais e estruturais do sistema. O contraste óbvio é a absoluta incapacidade que o governo federal mostrou na gestão da crise do óleo, já que, além de ampliar a destruição dos patrimônios biológicos e turísticos, retardou as investigações ao nível da inviabilidade de uma solução para o caso. Incompetência que também vem demonstrando no enfrentamento da pandemia. Na contramão da lógica do SUS, o governo também tratou de desmantelar a rede de atenção ao meio ambiente logo no início da gestão Bolsonaro. Esperamos que a sociedade consiga extrair desses exemplos o aprendizado para que o país, no curso de sua democracia, consiga manter o SUS e combater a pandemia com as políticas de Estado no seu devido patamar e integridade. Disso depende o nosso futuro. Para muitos dos venenos da história, o SUS é o antídoto.

2 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

As vantagens da Cannabis Medicinal

Dr. Pedro Antômio Pierro Neto >> 1) Há evidências científicas dos benefícios da cannabis para a saúde? O que, na sua opinião, impede a regula

Saúde Pública x Estado Mínimo

Dr. José Roberto Murisset >> O Sindicato dos Médicos do Grande ABC — a Casa dos Médicos — nasceu em junho de 1989 graças à bravura de uma de

Os desdobramentos da pejotização

Dra. Cláudia Trajano >> Recentemente, profissionais da área médica têm se deparado com a exigência de inscrição de CNPJ para contratação por

Av. Dom Pedro II, 288 - Conjunto 31

Santo André - SP, CEP: 09080-000