Vacinação contra a gripe foi prorrogada até 15 de junho

Atualizado: 30 de Mai de 2018

Até o momento, ainda faltam 18,8 milhões de pessoas a serem vacinadas em todo o país

Na terça-feira (29), foi anunciada a prorrogação da Campanha Nacional de Vacinação contra a gripe, que agora será até o dia 15 de junho em todo o país. A recomendação, segundo o Ministério da Saúde, enviada aos gestores locais, foi adotada em decorrência dos possíveis impactos da paralisação dos caminhoneiros no transporte público e nos atendimentos em serviços de saúde.


A data prevista para para encerrar a campanha era nesta sexta-feira (1º de junho), sendo que 100% das doses da vacina (60 milhões) já foram distribuídas aos estados, que estão abastecidos. Ao final da campanha, caso haja disponibilidade de vacinas nos estados e municípios, a vacinação poderá ser ampliada para crianças de cinco a nove anos de idade e adultos de 50 a 59 anos.


O Ministério reforçou o quanto é importante que os estados e municípios continuem a vacinar os grupos prioritários, em especial, crianças, gestantes, idosos e pessoas com doenças crônicas, público com maior risco de complicações para a gripe. Até o dia 28 de maio foram vacinadas 35,6 milhões milhões de pessoas contra a gripe.


Este total considera todo o público estimado, englobando pessoas privadas de liberdade – o que inclui adolescentes e jovens de 12 a 21 anos em medidas socioeducativas –, funcionários do sistema prisional e pessoas com doenças crônicas. Dessas, 28,8 milhões são idosos a partir de 60 anos, crianças de seis meses a menores de cinco anos, trabalhadores de saúde, professores das redes pública e privada, povos indígenas, gestantes e puérperas (até 45 dias após o parto).


O público com maior cobertura da vacina contra a gripe, até o momento, é de puérperas, com 78,1%, seguido pelos idosos (75,2%), professores (73,1%) e trabalhadores de saúde (71,6%). Entre os indígenas, a cobertura de vacinação ficou em 63,6% e gestantes 55,1%. O grupo com menor índice de vacinação foram as crianças, entre seis meses e cinco anos, a cobertura é de apenas 49,7%.


O último boletim de influenza do Ministério da Saúde aponta que, até 26 de maio, foram registrados 2.088 casos de influenza em todo o país, com 335 óbitos. Do total, 1.262 casos e 218 óbitos foram por H1N1. Em relação ao vírus H3N2, foram registrados 412 casos e 58 óbitos. Além disso, foram 219 registros de influenza B, com 27 óbitos e os outros 195 de influenza A não subtipado, com 32 óbitos.


Com informações do Ministério da Saúde


Post atualizado no dia 30/05

4 visualizações

Posts recentes

Ver tudo

O antídoto é o SUS

Nada como a história para que o conhecimento e a experiência sejam testados, independentemente dos resultados.

As vantagens da Cannabis Medicinal

Dr. Pedro Antômio Pierro Neto >> 1) Há evidências científicas dos benefícios da cannabis para a saúde? O que, na sua opinião, impede a regula

Av. Dom Pedro II, 288 - Conjunto 31

Santo André - SP, CEP: 09080-000